8 formas de ensinar o alfabeto de forma lúdica

6 min. leitura

mae como ensinar o alfabeto de forma lúdica e divertida para os filhos
Ouça o post
Voiced by Amazon Polly

Começar a reconhecer as letras é o primeiro passo para aprender a ler e escrever. É comum as crianças demonstrem curiosidade sobre as letras que formam o seu nome e suas palavras preferidas, como nomes dos animais, das cores, dos pais… Algumas aprendem as letras muito rapidamente, enquanto para outras o aprendizado depende de mais estímulos e repetições. O que ajuda nesse processo é saber como ensinar o alfabeto de forma lúdica e divertida!

Quando as crianças começam a aprender o alfabeto?

A maioria das crianças começa a reconhecer algumas letras entre as idades de 2 e 3 anos, e por volta dos 5 anos já consegue identificar praticamente o alfabeto completo. Isso significa que é possível começar a ensinar o alfabeto desde cedo, por volta dos 2 anos, mas não se deve exigir da criança o domínio completo por algum tempo.

É importante lembrar que os pais não precisam ficar obcecados se o filho demorar para entender e se interessar pelas letras, e que a família não precisa fazer o papel da escola nesse momento. Porém, os pais também têm função importante e podem oferecer à criança oportunidades que favoreçam de letramento desde cedo.

Aprendendo as primeiras letrinhas

Há muitas maneiras de apresentar as letras para uma criança. Em cada idade, o aprendizado se dá de uma maneira diferente, e por isso os estímulos também devem mudar ao longo do tempo.

Crianças menores são atraídas principalmente por elementos visuais e do seu cotidiano. Por isso é possível começar a estimulá-las ensinando as letras das cores e dos animais, por exemplo. Além disso, contar histórias e estimular o interesse por livros é um hábito importante para a criança ter contato com textos impressos desde cedo.

Incentivar a criança a escrever o próprio nome costuma ser um dos primeiros passos para familiarização com o alfabeto. Os pais podem estimular isso de várias formas: pendurar letras do alfabeto formando o nome na porta do quarto, pedir para a criança assinar o nome no desenho que fez, ou então colocar ímãs de letras na geladeira para ela brincar. Uma hora, a criança vai entender que essas letras, juntas, representam seu nome, levar esse aprendizado para todas as outras palavras.

Fases da alfabetização em cada idade

Cada criança é única e passa por seu próprio processo de desenvolvimento. Mesmo assim, em cada idade é comum que os pequenos apresentem alguns marcos de aprendizados relativos à leitura e à escrita:

0 a 3 anos: Nessa idade a criança demonstra curiosidade por ouvir histórias, por isso é importante estimular o gosto por livros e o hábito da leitura. A criança gosta de repetição, então sempre pede para os pais contarem de novo as histórias preferidas. Começam a demonstrar interesse em escrever o seu próprio nome e até a imitar a escrita em seus desenhos.

4 a 5 anos: Nessa fase a criança já conseguem escrever seu próprio nome e reconhecer esse conjunto de letras como uma palavra. É comum que comecem a escrever palavras e pequenas frases nos seus desenhos. Além disso, também já gostam de ouvir histórias mais longas e contar as que conhecem. Recitam rimas, trava línguas, parlendas e cantam as músicas favoritas de memória.

6 a 7 anos: Nessa faixa etária, muitas crianças já conseguem escrever frases e pequenos textos formando sentido. Os erros ortográficos são comuns e naturais nessa fase, já que a grafia correta se estabelece com o tempo. No Brasil, o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa prevê que os alunos sejam alfabetizados até o 3º ano do Ensino Fundamental. Veja mais no nosso artigo completo sobre a idade certa para aprender a ler e escrever.

Dicas para ensinar o alfabeto de forma lúdica

As crianças aprendem melhor através de brincadeiras e atividades lúdicas. Diferentes recursos e estímulos ajudam a tornar o aprendizado menos mecânico, assim estimulando o cérebro de maneiras diversas e promovendo um desenvolvimento mais completo.
Por isso, reunimos 8 ideias de como ensinar o alfabeto de forma lúdica e divertida para o seu pequeno:

1. Músicas

Cantar músicas do alfabeto para a criança é uma das formas mais comuns de introduzir as letras, tanto no idioma materno como para uma segunda língua. O ritmo e a repetição são fatores que ajudam a memorizar a ordem das letras no alfabeto, facilitando a identificação de cada uma delas separadamente.

Uma boa música do alfabeto para colocar para a criança escutar e cantar junto é essa versão disponível no Youtube da Galinha Pintadinha:

2. Livro personalizado do alfabeto

Livros que mostram o alfabeto são uma ótima forma de incentivar o contato com as letras desde muito cedo. As imagens e os estímulos visuais junto ao texto incentivam a criança a associar as letras com as palavras e coisas que ela já conhece.

livro do alfabeto turma da monica abc personalizado dentro da história
Livro Personalizado com ABC da Mônica

O livro Turma da Mônica: Personagens de A a Z tem um atrativo super especial: a personalização torna possível colocar a criança como o personagem principal da história. No livro, ela conhece o próprio Mauricio de Sousa, que apresenta diversos personagens que criou com cada letra do alfabeto. Os personagens queridos e a personalização aumentam o interesse da criança pelo livro e estimulam o aprendizado das letras, incentivando a leitura. No site é possível criar um livro personalizado e conhecer a história completa.

3. Apps educativos

Muitos pais ficam receosos sobre incentivar a criança a usar dispositivos digitais, como celulares e tablets. Neste outro artigo, demos algumas dicas sobre como incentivar uma relação saudável com a tecnologia.

Na fase da alfabetização, a tecnologia pode ser uma aliada através de aplicativos educativos. O app Alfabeto Melado é um ótimo exemplo: ele permite que a criança treine o traço das letras na tela, de forma interativa. Quando a letra é completada, ele a relaciona com algumas palavras, através do som e de imagens. Veja uma demonstração:

4. Caixa de areia Montessori

Uma ótima atividade para iniciar o treino da escrita é a caixa de areia do alfabeto, proposta pela pedagogia Montessori. Na verdade, essa atividade pode ser usada para diferentes treinos motores.

Para fazer a atividade, é preciso ter cartas para cada letra e uma caixa de areia. A criança observa a carta, passando o dedo em cima do contorno da letra, e depois a letra na areia.
Essa é uma maneira tátil e visual de ajudar as crianças a aprender o alfabeto. Por isso, para fazer as cartas, recorte as formas das letras em uma lixa fina e cole nas pequenas cartolinas. Também é bom fazer uma pequena indicação com uma seta, mostrando o ponto e a direção iniciais do movimento. Veja um exemplo no vídeo:

5. Recorte de palavras

Quem está aprendendo a ler começa a reparar nas presença das palavras no mundo ao redor. Em propagandas, rótulos, jornais, revistas… Incentivar essa percepção é uma forma de promover o aprendizado contínuo!

Uma atividade que pode ser feita em qualquer lugar é a busca de palavras em revistas e jornais. O adulto pode sugerir para a criança procurar e recortar diferentes palavras, por exemplo: que começam com determinada letra, ou que são formadas por um certo número de letras, de acordo com o que a criança já aprendeu.

Crianças um pouco mais velhas podem procurar palavras no plural, palavras com determinada quantidade de sílabas, palavras no aumentativo ou diminutivo, etc. Isso exercita o raciocínio e promove o contato com palavras diferentes, o que contribui para a construção do vocabulário.

Receba dicas e novidades por email:

6. Alfabeto móvel

O alfabeto móvel é um nome dado para as letras normalmente feitas de plástico, que são um recurso muito utilizado em escolas. Também é possível fazer atividades em casa, e não precisa nem comprar as letrinhas de plástico: basta criar letras em cartolina ou outro material resistente.

Uma atividade possível é escrever o nome da criança em um papel e pedir para ela montar logo ao lado o seu nome com o alfabeto móvel. Também vale envolver recursos visuais, como imagens, ou então os próprios objetos: por exemplo, peça para a criança mostrar qual é o brinquedo preferido dela e depois que escreva a palavra com as letras.

Na escola ou com amiguinhos, pode-se incentivar a busca pelas letras em grupo. Outra ideia possível é colocar ímãs atrás das letras para a brincadeira acontecer na geladeira. Os pequenos adoram!

7. Caixa surpresa

Essa brincadeira é ótima para fazer com um grupo de crianças, em casa com irmãos e amiguinhos ou na escola. Em uma caixa de sapato, coloque letras de alfabeto móvel (feitas de plástico, madeira ou papel mesmo).

Com as crianças em roda, ligue a música e peça para passarem a caixa de mão em mão. Quando a música parar, a criança pega uma letra da caixa e diz uma palavra que começa com ela. O adulto pode pedir que falem um nome de animal, de cor, de país, etc. Se a criança não lembrar de nenhuma palavra, incentive os amiguinhos a contribuírem.

8. Alfabeto de massinha

Qual criança não adora brincar com massinha? Já existem alguns kits de massinha que ajudam a aprender o alfabeto. Mas a ideia é simples e pode ser feita em casa mesmo!
Em um papel sulfite ou mais grosso, desenhe cada uma das letras. A criança usará a massinha para modelar as letras em cima do papel. Você pode também incentivá-la a criar animais ou objetos que comecem com aquela letra.

Com essas dicas, aprender o alfabeto vai virar uma grande brincadeira. Isso é importante para que o aprendizado aconteça de forma natural e contínua. Assim, logo a criança começará a ler e escrever sem nem perceber como aprendeu tudo isso!

Veja também: Ebook Grátis – Tecnologia e protagonismo na educação infantil

4 Responda para “8 formas de ensinar o alfabeto de forma lúdica”

  1. Legal o conteúdo. Mas dizer que as crianças entre 6 e 7…a maioria sabendo ler e escrever…desculpe, mas sou professora do 1o ano e tenho 8 pré-silabicos, 3 silabicos sem valor, 4 silabicos com valor e 6 silabicos alfabéticos. Ou seja, nenhum alfabético e menos ainda alfabetizado. A realidade em muitas comunidades é outra.

    1. Olá Michelle! Obrigada pelo seu comentário!
      Realmente a idade de alfabetização varia por diversos fatores, e precisamos compreender o contexto de cada aluno, da escola e da região. A sua experiência é similar à de muitos professores no Brasil, onde grande parte dos alunos da educação pública realmente não é alfabetizado na faixa dos 7 anos.
      O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa prevê que os alunos sejam alfabetizados até o 3º ano do Ensino Fundamental, como mencionamos neste outro artigo: https://blog.dentrodahistoria.com.br/educacao/alfabetizacao-e-leitura/alfabetizacao-idade-certa-para-aprender-a-ler/
      Vamos incluir a observação aqui também 🙂
      Um abraço da nossa equipe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *