Será que meu filho está estressado?

3 min. leitura

Criança fazendo dever de casa estressado
Ouça o post
Voiced by Amazon Polly

O estresse é um problema comum para os adultos, mas também pode afetar as crianças. Saiba se seu filho está estressado e como ajudar!

O estresse virou a palavra da vez no mundo moderno. Normalmente ele se torna um problema apenas na vida adulta, com o trabalho e a correria do dia a dia se tornando os grandes vilões. Porém, o que nem sempre imaginamos é que as crianças também pode passar por algo parecido.

Uma pesquisa nos Estados Unidos revelou inclusive que não é sempre que as famílias percebem o que está acontecendo em casa. Leia mais para entender se esse é o caso do seu filho e saber como ajudar.

Famílias não percebem o estresse dos filhos

Uma pesquisa realizada pelo site WebMD, nos Estados Unidos, mostrou que é comum o estresse infantil passar despercebido pelas famílias. Cerca de 430 pais de crianças com idades entre 5 e 13 anos responderam às seguintes perguntas: “Que nota de 1 a 10 você daria ao seu nível de estresse? E ao nível de estresse do seu filho?” As respostas mostraram o que todos já imaginam: os adultos estão estressados. Mas a principal conclusão foi que eles não percebem o estresse pelo qual as crianças também passam.

A maioria dos pais (cerca de 57%) deu uma nota acima de 7 para a própria situação, mas esses mesmos adultos (60% deles) disseram que suas crianças tinham um nível de estresse abaixo de 4. E é nesse ponto que muitos pais e mães podem estar equivocados: o estudo mostrou que mais de 70% dos filhos davam sinais notáveis de estresse, como choro excessivo e dores de cabeça.

Veja também: Como manter a saúde emocional após a maternidade

Por que as crianças estão estressadas?

Nossos pequenos podem ser alegres e estarem sempre dispostos para uma brincadeira, mas eles também estão sujeitos a tristezas e frustrações assim como os adultos. Na pesquisa do site americano, as famílias identificaram a escola (53%) e os amigos (51%) como principais fontes de estresse, mas a verdade é que esses adultos deixaram passar alguns acontecimentos que também afetam as crianças de forma direta ou indireta.

Problemas financeiros, divórcio dos pais, doenças ou mortes de pessoas próximas; a pesquisa mostrou que muitas das famílias entrevistadas passaram por esses problemas e isso se refletiu no estado psicológico das crianças.

Outro fator que pode gerar estresse nas nossas crianças é o excesso de atividades extracurriculares. Dar um bom futuro para os filhos é uma intenção nobre, mas hoje em dia eles acumulam funções cada vez mais cedo. O inglês, a natação, o ballet – todas essas podem ser atividades divertidas e produtivas, mas, se não houver tempo para a brincadeira livre, esse pequeno corre sérios riscos de viver sob a pressão de um pequeno adulto.

Percebendo que seu filho está estressado

Não é uma tarefa nada fácil perceber que o filho está estressado. Dificilmente uma criança vai chegar para um adulto e dizer que está estressada – na maioria das vezes elas nem sabem o que está acontecendo com o próprio corpinho.

Para os pais, o estresse pode ser confundido com birra, com aquele choro considerado normal. É comum também se manifestar na forma de uma dor física, como dores de cabeça e de barriga.

Ao mesmo tempo é preciso prestar atenção em problemas mais sutis, como pesadelos, sono agitado e falta de apetite. Esses sintomas sintomas são comumente relacionados ao estresse na vida adulta, mas, quando se trata das crianças, muitas vezes passam despercebidos.

Problemas no desempenho escolar e muitas atividades extracurriculares são fatores comuns para desencadear o estresse infantil. Mudanças de casa ou de escola também, assim como crises familiares ou no relacionamento dos pais.

Leia também: Meu filho não quer ir à escola. E agora?

Como ajudar as crianças que sofrem de estresse

Cabe aos pais ficar de olho nos sintomas citados acima e acompanhá-los no dia a dia para saber o que pode estar afetando o filho. Além disso, procurar especialistas como psicólogos é o melhor caminho para a família a descobrir a fonte do estresse e para a criança aprender a lidar com a situação pela qual está passando.

Uma boa medida é reduzir a carga de atividades e passar tempo de qualidade junto com outras crianças e com os pais. Brincar ao ar livre, praticar esportes, fazer atividades manuais e ler em família também são formas de aliviar o estresse e criar uma rotina mais saudável, não só para os filhos como também para os adultos.

Receba dicas e novidades por email:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *