O Pequeno Príncipe: conheça 10 fatos surpreendentes sobre o livro

5 min. leitura

O Pequeno Príncipe de Saint-Exupéry
Ouça o post
Voiced by Amazon Polly

Saiba tudo sobre o livro O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry, uma das obras mais famosas da história da literatura mundial.

Um misterioso menino vindo de um planeta distante, à procura de um carneiro. Esse personagem soa familiar?

As chances de você conhecer a história de O Pequeno Príncipe são muito grandes. O livro escrito pelo aviador francês Antoine de Saint-Exupéry foi publicado em 1943 e já vendeu mais de 200 milhões de cópias no mundo todo, tornando-se uma das obras mais famosas da história.

O clássico moderno conta a história de um principezinho, que viaja pelo universo em busca de sabedoria. Na Terra ele encontra um aviador perdido no deserto, a quem conta toda sua jornada até então.

10 curiosidades sobre O Pequeno Príncipe

Se você já conhece O Pequeno Príncipe, ficará encantado com os fatos curiosos sobre ele que separamos a seguir. Se nunca leu o livro, com certeza terá muito mais motivos para conhecer essa obra universal.

1. O escritor Saint-Exupéry tinha muito em comum com o aviador do livro

Apesar de hoje ser conhecido como o escritor de O Pequeno Príncipe, antes da Segunda Guerra Mundial Antoine de Saint-Exupéry era um famoso aviador, vindo de uma família da aristocracia francesa. Ele foi piloto de testes e ajudou a implantar rotas de correio na África e na América do Sul. 

Saint Exupéry se inspirou em um experiência própria para descrever no livro a queda do aviador no deserto do Saara. Em 1935, durante uma tentativa de quebrar o recorde da viagem mais rápida entre Paris e Saigon, ele caiu com seu avião no deserto a 200km de distância de Cairo, no Egito. O aviador e seu copiloto sobreviveram e passaram 4 dias perdidos no deserto, até serem encontrados por um integrante de um povo local que salvou suas vidas.

2. Saint-Exupéry também fez as ilustrações de O Pequeno Príncipe

Imagem: Dentro da História – Livro Personalizado O Pequeno Príncipe

Foi o próprio Saint-Exupéry quem pintou as ilustrações da história, feitas em aquarela. Ele não se considerava um “artista”, e inclusive desistiu dos estudos em arquitetura na juventude, mas sempre desenhava pessoas em pedaços de papel. Esse fato aparece refletido em um trecho do primeiro capítulo do livro:

“As pessoas grandes aconselharam-me a deixar de lado os desenhos de jibóias abertas ou fechadas, e dedicar-me de preferência à geografia, à história, ao cálculo, à gramática.”

Leia também: A importância da leitura para a Geração Alpha

3. O Pequeno Príncipe foi escrito nos Estados Unidos 

Saint-Exupéry foi piloto da Força Aérea Francesa durante a Segunda Guerra Mundial até o armistício entre a França e a Alemanha em 1940, que resultou na desmobilização das forças francesas. Com as mudanças políticas, recusou-se a juntar-se à Royal Air Force e se exilou nos Estados Unidos, onde tentou fazer com que o governo entrasse na guerra contra a Alemanha. 

Publicado pela primeira vez em 1943, O Pequeno Príncipe foi lançado em francês e inglês, mas apenas nos Estados Unidos. Devido às visões políticas o autor, sua obra só foi disponibilizada em sua terra natal após a libertação da França ao final da Guerra.

4. A rosa foi inspirada em Consuelo, esposa de Saint Exupéry 

O Pequeno Príncipe com a Rosa
Imagem: Dentro da História – Livro Personalizado O Pequeno Príncipe

Saint- Exupéry foi casado com Consuelo de Saint-Exupéry, também escritora e artista nascida em El Salvador. Os dois tinham uma relação volátil, tendo vivido separados a maior parte de suas vidas, mas ela sempre foi sua musa e provavelmente inspirou a rosa de O Pequeno Príncipe. 

Assim como Saint-Exupéry manteve Consuelo perto de seu coração, o principezinho protege sua rosa, regando-a e protegendo-a. Embora ele encontre outras rosas em sua jornada, a raposa o lembra que sua rosa é única para ele porque “tu te tornas eternamente responsável pelo que cativas”. Esta teoria é ainda reforçada pelo título da autobiografia de Consuelo, chamada O Conto da Rosa. 

5. O Pequeno Príncipe é uma obra profundamente filosófica 

Apesar de ter muitas características que podem classificar o livro como Literatura Infantil (a linguagem, os textos curtos, as ilustrações ao longo da história), O Pequeno Príncipe pode ser considerado um exemplar da literatura filosófica. Segundo críticos, o livro contém diversas parábolas existencialistas. Quase todos os capítulos abordam críticas à sociedade do período entre-guerras, ao mesmo tempo em que narram as partes da viagem do principezinho.

O autor apresenta questionamentos sobre dualidades como a vida e a morte, o amigo e o inimigo, e a sociedade e o indivíduo. Nas seis paradas que o principezinho faz antes de chegar à Terra, encontrando um bêbado, um rei egocêntrico, um homem muito vaidoso, um empresário ocupado, um acendedor de lampiões e um geógrafo, são criadas metáforas para o comportamento humano e os problemas da sociedade. Da mesma forma, o perigo que as árvores baobás representavam para o lar do principezinho também simboliza os perigos que o Nazismo representava naquele momento histórico.

7. Um dos personagens principais nunca é mostrado ao leitor

Curiosamente, o piloto – que é o narrador e um dos personagens principais – nunca é mostrado nas ilustrações do livro. Uma exposição de 2014 em Nova York exibiu diversos desenhos inéditos de Saint-Exupéry, incluindo um que retratava o aviador dormindo ao lado de seu avião. 

Segundo a curadora Christine Nelson, Saint-Exupéry provavelmente excluiu essa ilustração porque tinha a preocupação de se livrar daquilo que não era essencial para a história. Ao mesmo tempo, uma das frases mais famosas do livro é: “O essencial é invisível aos olhos.”

8. Saint-Exupéry desapareceu misteriosamente

O final da vida de Saint-Exupéry é tão misterioso quanto o fim de O Pequeno Príncipe. Depois de voltar à força aérea francesa, em uma missão de reconhecimento em 1944, seu avião desapareceu e ele nunca mais foi visto. 

Não se sabe se ele foi abatido por um inimigo ou caiu, e o corpo do autor nunca foi recuperado. Apenas em 2000 os restos do avião foram descobertos na costa de Marselha, no Mediterrâneo. 

9. O Pequeno Príncipe foi traduzido para mais de 250 idiomas

Esse é o terceiro livro mais traduzido do mundo, ficando atrás apenas da Bíblia e do Alcorão. Suas traduções incluem dialetos raros como alur, falado no Congo e no toba, língua indígena do norte da Argentina. 

O Pequeno Príncipe foi também traduzido para o idioma artificial Esperanto e foi impresso em braille. Existem países com diversas versões do livro: o recorde é da China, com 50 edições diferentes. 

Veja também: 15 frases do Pequeno Príncipe para inspirar todas as idades

10. O livro personalizado de O Pequeno Príncipe

Imagem: Dentro da História – Livro Personalizado O Pequeno Príncipe

A mais nova adaptação da obra de Saint-Exupéry é o livro personalizado O Pequeno Príncipe, em que as crianças podem se transformar no personagem principal da história. Esse lançamento da Dentro da História tem a proposta de incentivar a leitura e o protagonismo infantil, apresentando para a nova geração de leitores esse clássico da literatura mundial.

Os assinantes do Clube Dentro da História já podem personalizar o livro O Pequeno Príncipe e recebê-lo em casa, junto a atividades e brincadeiras também personalizadas inspiradas na história. 

Para conhecer o clube de leitura infantil e o livro personalizado O Pequeno Príncipe, clique aqui!

Receba dicas e novidades por email:

4 Responda para “O Pequeno Príncipe: conheça 10 fatos surpreendentes sobre o…”

    1. Oii Daniela! Também amamos a obra O Pequeno Príncipe 🙂
      Ficamos felizes por saber que você gostou do novo livro personalizado!

    1. Oii Adriana!
      É só selecionar o personagem O Pequeno Príncipe após informar o nome e a idade da criança no site 🙂 Nossa equipe vai te ajudar por email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *